Água para as cidades: Respondendo ao desafio urbano

Dia Mundial da Água de 2011 aborda crescimento insustentável de centros urbanos.  Novo relatório da ONU esboça ações para reverter esse cenário.

O Dia Mundial da Água é celebrado anualmente no dia 22 de março e destaca à importância da água potável e do manejo sustentável dos recursos hídricos. Neste ano, a ONU-Água escolheu o tema Água para as cidades: Respondendo ao desafio urbano, com o objetivo de trazer a atenção internacional para o impacto do rápido crescimento demográfico urbano, da indrustrialização e de incertezas causadas pela mudança do clima, conflitos e desastres naturais nos sistemas urbanos. A intenção é estimular ação de governos, organizações, comunidades e indivíduos para um crescimento sustentável.

Esta é a primeira vez na história humana em que a maior fatia da população vive em cidades: 3.3 bilhões de pessoas. Neste cenário, 38% do crescimento urbano é representado por favelas, enquanto a população das cidades cresce mais rápido do que sua infraestrutura.

No Dia Mundial da Água de 2011, as Nações Unidas lançam um relatório que mostra que a rápida urbanização das últimas cinco décadas vem mudando o cenário do continente africano e gerando grandes desafios para o abastecimento de água e serviços de saneamento.

De acordo com esse estudo, intitulado “Avaliação de Resposta Rápida” (Rapid Response Assessment), do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) em parceria com o Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat), centros urbanos da África estão crescendo em um ritmo mais rápido do que em qualquer outro lugar do mundo.

Trata-se de um continente de um bilhão de pessoas, das quais 40% vive em áreas urbanas – sendo que 60% delas vive em favelas, onde o abastecimento de água e o saneamento são severamente inadequados. O relatório fornece estudos de caso de cidades de vários cantos do continente, onde níveis altos de urbanização são desproporcionais em relação à infraestrutura adequada de água e saneamento.

“Esses são fatos preocupantes que precisam ser tratados ao passo que as nações se preparam para a Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável de 2012”, declarou o Sub-Secretário Geral da ONU e Diretor-Executivo do PNUMA Achim Steiner. “Os estudos em Economia Verde mostram evidências de que um caminho diferente em termos de recursos hídricos e saneamento básico devem começar a ser considerado”, adicionou.

A Conferência, também conhecida como Rio+20, terá, como um de seus principais temas, a Economia Verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza.

O Diretor-Executivo da ONU-Habitat, Dr. Joan Clos, disse que “este relatório não poderia ter vindo em um momento mais oportuno. A África é o continente que sofre urbanização mais rápida e a demanda por água e saneamento está excedendo a oferta nas cidades. Conforme as cidades se expandem, deve-se melhorar o planejamento e manejo urbano para prover acesso universal tanto à água quanto a serviços básicos e garantir, ao mesmo tempo, que as cidades se tornem mais resilientes aos efeitos crescentes da mudança do clima”.

Fonte: PNUMA

Anúncios

Sobre Liliane Castro

"O que eu faço, é uma gota no meio de um oceano. Mas sem ela, o oceano será menor." (Madre Teresa de Calcutá) Ficarei uns dias sem postar, devido a preparação e defesa de TCC na Universidade...
Esse post foi publicado em Água e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s