O que fazer com o lixo tecnológico?

Na minha postagem anterior, comecei a falar sobre o lixo tecnológico e suas conseqüências para o Meio Ambiente e, assim, para  todos os seres vivos . Ficando a seguinte interrogação para esta matéria: O que fazer então com o lixo tecnológico? Para respondê-la e ajudar na compreensão deste tema, segue-se abaixo um video  e informações do Ministério do Meio Ambiente (MMA) .

Aproveite a Leitura, o conhecimento para mudar o futuro do nosso Planeta!!

Segundo os dados da OnG Solving the E-Waste Problem (StEP), que tem como objetivo global resolver o problema do lixo eletrônico, divulgados no início do ano, indicam que, no Brasil, é descartado anualmente 0,5 quilos de lixo eletrônico por habitante. E todo esse lixo tóxico é jogado fora sem nenhum cuidado para impedir que contaminem o meio ambiente. Na China, o dado é mais baixo: eles descartam por ano 0,2 quilo por habitante.

Mas o Governo Federal tem se movimentado para combater o problema. A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), sancionada em agosto, apresenta novidades, como a “responsabilidade compartilhada”, comprometendo a sociedade, empresas, prefeituras e governos estaduais e federal na gestão desses resíduos.

“Outro avanço da lei é a questão da logística reversa, que trata do pós-consumo”, afirma Geraldo Abreu, diretor do Departamento de Cidadania e Responsabilidade Socio-ambiental do MMA. “Com isso a lei obriga que fabricantes, importadores, distribuidores e vendedores realizem o recolhimento de embalagens usadas”, garante Abreu.

Algumas dicas para evitarmos o aumento deste tipo lixo:
TVs e outros eletrodomésticos obsoletos não devem ser jogados no lixo.

  • Procure consertar os aparelhos quando pararem de funcionar completamente.
  • Aproveite o que serve: desmonte o aparelho com ajuda de alguém que entenda do assunto e separe as partes metálicas das plásticas.
  • Avalie se pode aproveitar o que está em bom estado e informe-se sobre lugares que recebem material para reciclagem.
  • Faça uma doação do que não serve. Se existe conserto, mas você não quer realizá-lo, procure uma instituição que possa aproveitar o aparelho.
  • Outra opção é a venda no mercado de usados.
  • Procure organizações que façam a reciclagem desses produtos. Pesquise e pergunte onde encontrá-las.

Fonte: Ascom/MMA e Tecnologia Terra.

Pequenos gestos podem mudar o mundo!!

Viva à Natureza!!

Anúncios

Sobre Liliane Castro

"O que eu faço, é uma gota no meio de um oceano. Mas sem ela, o oceano será menor." (Madre Teresa de Calcutá) Ficarei uns dias sem postar, devido a preparação e defesa de TCC na Universidade...
Esse post foi publicado em Artigos, Responsabilidade Ambiental e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s