Saudade…

Deu uma saudade desse meu mundinho aqui… =)

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

2013: Ano Internacional da Cooperação pela Água

Cerca de 11% da população mundial ainda não possui acesso à água potável e 37% vive sem redes de esgoto. Para tentar mudar essa realidade, a ONU proclamou 2013 como o Ano Internacional da Cooperação pela Água.

2013logo_portugese

70% da Terra é constituída por água, mas apenas pouco mais de 2% do recurso está disponível na superfície do planeta para ser usado pelo homem. Você acha pouco? Segundo a ONU – Organização das Nações Unidas, a quantidade seria mais do que suficiente para que toda a população vivesse de forma digna, se não houvesse tanto desperdício e poluição do recurso no mundo.

Para chamar a atenção da sociedade civil, empresas e governos para este fato e, assim, tentar melhorar os índices de acesso à água potável e ao saneamento básico no planeta, a ONU proclamou 2013 como o Ano Internacional da Cooperação pela Água.

A ideia é promover eventos e discussões, durante esses 12 meses, que ajudem a buscar soluções para combater, entre outros problemas graves:
– a ausência de acesso à água potável para cerca de 11% da população mundial;
– a falta de redes de esgoto para 37% das pessoas que vivem no planeta e
– a morte de cerca de cinco mil crianças, por dia, por conta de doenças diarréicas causadas pela falta de acesso à água de qualidade.

Quer ficar por dentro de todas as atividades que vão rolar durante o Ano Internacional da Cooperação pela Água? Acesse o site da iniciativa.

Fonte: Planeta Sustentável

Publicado em Água, Datas Ecológicas, Responsabilidade Ambiental | Marcado com , , | Deixe um comentário

A mandioca que vira copinhos

As empresas começam a investir numa alternativa para evitar a poluição causada por plástico: um produto equivalente que é feito de plantas e raízes e se decompõe naturalmente

CBPAK_banner3

Os produtos de plástico são utilíssimos, a vida sem eles é impossível e os danos que causam ao meio ambiente são imensos. Até aí, nenhuma novidade. Segundo as estatísticas mais recentes, 150 milhões de toneladas desses produtos são fabricadas no mundo por ano e 95% delas vão parar em lixões, sem tratamento algum, ficando sujeitas a um processo de decomposição interminável. Uma solução pode estar na busca de um produto alternativo semelhante em tudo ao plástico, mas menos poluente. Estudos nessa direção estão avançando, e resultados já são vistos na produção de objetos – embalagens, garrafas, componentes de celulares, autopeças – feitos do chamado bioplástico. Assim como os plásticos convencionais, os bioplásticos são feitos de polímeros, e as propriedades e características dos dois (vida útil, resistência a choques e variação de temperatura) também se assemelham. A diferença está na matéria-prima: enquanto o convencional vem do petróleo, o “ecológico” é obtido da natureza, em grande parte na agricultura: da cana-de-açúcar, do milho, da mandioca, da batata e outros.

A maior vantagem do bioplástico é amenizar o aquecimento global provocado pela emissão de gás carbônico. Cada quilo de plástico feito a partir de petróleo libera cerca de 6 quilos de gás carbônico. Com os plásticos verdes acontece o contrário: cada quilo produzido representa a absorção de 2 a 2,5 quilos de gás carbônico devido à fotossíntese dos produtos agrícolas usados na sua composição. Também demandam bem menos energia na sua produção. Além disso, são 100% recicláveis e 70% deles são biodegradáveis e compostáveis – decompõem-se sozinhos, em 180 dias, em média.

Dois problemas ainda travam a expansão da indústria de bioplásticos. Um deles, a necessidade de mais pesquisas, vem sendo amenizado com o desenvolvimento de projetos no mundo todo. Entre os muitos usos do produto, já estão em fase de teste no mercado uma bola de golfe que se degrada e vira comida de peixe se cair na água, uma goma de mascar que não gruda e, num futuro mais distante, um filme invisível que envolve as frutas, impede que elas estraguem rapidamente e pode ser ingerido. Já o outro problema é mais complicado: ainda é muito caro produzir o plástico verde. A maior parte das empresas que atuam no setor está utilizando a cana-de-açúcar – a Braskem, no Rio Grande do Sul, produz 200 000 toneladas por ano de plástico derivado de polietileno formado a partir do processo de desidratação do etanol. Situada em São Carlos, no estado de São Paulo, a CBPak utiliza matéria-prima mais inusitada: produz atualmente 300 000 bandejas e copos de plástico para embalar alimentos feitos a partir de amido de mandioca e espera faturar 10 milhões de reais neste ano.

“Trata-se de um negócio que ainda está engatinhando e que enfrenta duas barreiras: o preço e a produtividade”, diz Claudio Rocha Bastos, fundador da CBPak, que tem planos ambiciosos de ampliar sua produção em dez vezes. Embalagens ecológicas podem custar até o triplo das de origem fóssil e, mesmo tendo atingido, em 2011, a marca de 1 milhão de toneladas, a atual produção mundial não representa nem 1% do mercado de plásticos.

Fonte: Planeta Sustentável.

Publicado em Desenvolvimento sustentável, Responsabilidade Ambiental | Marcado com , | Deixe um comentário

Preserve…

Uma música gostosa de se ouvir… Adoro!

Preserve esse sorriso, esse brilho, esse olhar
Preserve o que eu digo, pois não falo por falar
Preserve esse abraço, esse abraço carinhoso
Do jeito que eu acho, pode ser maravilhoso
Preserve tudo isso, tudo isso e mais um pouco
E também tudo aquilo, que matar esse sufoco
Preserve esse aperto de mão meu amigo meu irmão
E se um irmão por mim perguntar, diga que eu vou estar

Pelo céu ou pelo mar
Vou por aí a procurar
Pelo céu ou pelo mar
Vou por aí a te encontrar

Preserve os nossos rios, nosso verde nosso ar
E também tudo aquilo que tiver que preservar
Preserve o que é mato nesse mundo grandioso
Pois muito em breve eu acho, poderá ser valioso
Conserve tudo, bicho, todo reino animal
Só não conserve o lixo, pátria multinacional
Preserve esse aperto de mão meu cumpadre, meu irmão
E se um irmão por mim perguntar, pode ser que eu possa estar

Não esqueçam a Natureza agradece, por mais simples que seja um ato para preservá-la.

Tenhas um ótimo e abençoado dia!
Abraços

Alegre

Publicado em Amazônia, Biodiversidade Brasileira, Responsabilidade Ambiental | Marcado com , | 1 Comentário

Cada lixo em seu lugar

Grande parte do lixo reciclável é fácil de classificar: metais, vidros, papéis e plásticos vão para as lixeiras amarela, verde, azul e vermelha, respectivamente. Mas vez ou outra é preciso descartar materiais que parecem não se encaixar em nenhuma categoria. Isopor limpo e CD, por exemplo, são plásticos recicláveis. Borrachas, espumas e tecidos devem ser jogados no lixo orgânico.

Há, ainda, uma categoria de resíduos que, embora possam ser reaproveitados, não devem ir para a reciclagem comum. A lei que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, aprovada em 2010, recomenda que fabricantes, comerciantes e importadores de produtos como pilhas, lâmpadas fluorescentes e eletroeletrônicos recolham esses materiais para encaminhá-los à reciclagem ou dar a eles outra destinação adequada. Essa logística reversa, porém, ainda está em fase de estudos, e não há prazo para sua implantação. “A nova política de resíduos sólidos requer ações totalmente diferentes do sistema atual de descarte de lixo. É preciso, por exemplo, oferecer ao consumidor uma cadeia de coleta eficiente”, explica a ambientalista Ana Maria Domingues Luz, presidente do Instituto Gea, de São Paulo. Veja, a seguir, como descartar sete tipos de lixo complicados.

MEDICAMENTOS
Por que requerem descarte especial:
as substâncias químicas dos remédios podem contaminar o ambiente quando eles são jogados no lixo comum, na pia ou no vaso sanitário. “Além disso, o descarte inadequado de frascos contendo restos de medicamentos pode trazer risco à saúde de outras pessoas”, diz a bióloga Patricia Blauth, especialista em minimização de resíduos da consultoria Menos Lixo, de São Paulo
Onde descartar: há pontos de coleta em lojas das redes de drogarias Panvel (RS, SC e PR), Droga Raia (SP, RJ, MG, RS, SC e PR) e da rede Pão de Açúcar/Extra (SP)

RADIOGRAFIA
Por que requer descarte especial:
chapas de raio X levam prata em sua composição, metal nobre que pode ser reutilizado na confecção de joias e certos utensílios. Jogar radiografias no lixo comum, portanto, é um tremendo desperdício. Mas, como o processo de recuperação da prata pode gerar resíduos tóxicos, as chapas também não devem ir para a reciclagem comum
Onde descartar: nos postos de coleta do Hospital das Clínicas, em São Paulo, e do Hospital das Clínicas da Unicamp, em Campinas. Clientes dos laboratórios Fleury e a+ Medicina Diagnóstica podem entregar chapas antigas em unidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Curitiba, Recife, Porto Alegre e Brasília

CARTUCHOS DE TINTA E TONER
Por que requerem descarte especial:
não devem ser encaminhados para a reciclagem comum para evitar o manuseio incorreto. Quando lavados em água corrente, por exemplo, cartuchos e toners podem contaminar o sistema de abastecimento. A manipulação do material também traz risco à saúde. O conteúdo do toner, um pó extremamente fino, pode atingir os pulmões se inalado
Onde descartar: a HP recolhe cartuchos e toners, além de outros equipamentos da marca, mas é preciso juntar cinco cartuchos de toner ou dez de tinta para solicitar o recolhimento por meio do site da empresa. A Epson disponibiliza postos de coleta em algumas lojas revendedoras

LÂMPADA FLUORESCENTE
Por que requer descarte especial:
o vapor de mercúrio do interior da lâmpada é tóxico e contamina o ar quando o vidro se rompe.

Fonte: Planeta Sustentável

Publicado em Desenvolvimento sustentável, Lixo, Resíduos sólidos | Marcado com , | Deixe um comentário

Doze Princípios do Consumidor Consciente

image

 

 “Devemos ser a mudança
que queremos ver no mundo”

Mahatma Gandhi

 

 

Uma nova consciência planetária deve começar nas escolhas concretas que fazemos em nossas ações diárias. Por isso, o Instituto Akatu propõe 12 princípios norteadores do consumo consciente que, aplicados em nosso cotidiano, são capazes de trazer sustentabilidade à humanidade.
Como aposto em você, e você aposta num mundo melhor, tenho certeza que esses princípios vão ser usados em suas escolhas cotidianas.

1 Planeje suas compras
Não seja impulsivo nas compras. A impulsividade é inimiga do consumo consciente. Planeje antecipadamente e, com isso, compre menos e melhor.

2 Avalie os impactos de seu consumo.
Leve em consideração o meio ambiente e a sociedade em suas escolhas de consumo.

3 Consuma apenas o necessário
Reflita sobre suas reais necessidades e procure viver com menos.

4 Reutilize produtos e embalagens
Não compre outra vez o que você pode consertar, transformar e reutilizar.

5 Separe seu lixo
Recicle e contribua para a economia de recursos naturais, a redução da degradação ambiental e a geração de empregos.

6 Use crédito conscientemente
Pense bem se o que você vai comprar a crédito não pode esperar e esteja certo de que poderá pagar as prestações.

7 Conheça e valorize as práticas de responsabilidade social das empresas
Em suas escolhas de consumo, não olhe apenas preço e qualidade.Valorize as empresas em função de sua responsabilidade para com os funcionários, a sociedade e o meio ambiente.

8 Não compre produtos piratas ou contrabandeados
Compre sempre do comércio legalizado e, dessa forma, contribua para gerar empregos estáveis e para combater o crime organizado e a violência.

10 Divulgue o consumo consciente
Seja um militante da causa: sensibilize outros consumidores e dissemine informações, valores e práticas do consumo consciente. Monte grupos para mobilizar seus familiares, amigos e pessoas mais próximas.

11 Cobre dos políticos
Exija de partidos, candidatos e governantes propostas e ações que viabilizem e aprofundem a prática do consumo consciente.

12 Reflita sobre seus valores
Avalie constantemente os princípios que guiam suas escolhas e seus hábitos de consumo.

Fonte: Instituto Akatu

Consumo consciente: adote esta causa!
Pequenos gestos, grandes tranformações!

Publicado em Responsabilidade Ambiental, Simples Assim | Marcado com , , | Deixe um comentário

Abatido pelo plástico

Estômago de filhote de albatroz cheio de lixo: um terço deles é vítima dos detritos que as correntes arrastam para o meio do Oceano Pacífico e que são levados para o ninho como comida

Em pleno Oceano Pacifico, a mais de 3 000 quilômetros de distancia de qualquer continente, sem uma única fabrica ou cidade por perto, numa reserva de vida selvagem administrada pelos Estados Unidos, o plástico jogado no lixo causa uma devastação: ao ingeri-lo, filhotes de albatroz morrem aos milhares, engasgados, envenenados ou desnutridos.

Trata-se das Ilhas Midway, uma estreita faixa de areia e corais que serve de abrigo a 2 milhões de albatrozes e que, para infortúnio deles, fica próximo ao que se convencionou chamar de “lata de lixo do Pacifico” — um ponto no oceano para onde convergem correntes marítimas que, na passagem por grandes centros urbanos, arrastam todo tipo de lixo descartado indevidamente. Ao vasculharem o mar atrás de alimento, os albatrozes de Midway confundem lixo com comida. Parte eles engolem (uma pesquisa mostrou que todas as aves trazem algum tipo de plástico no corpo), parte levam de volta aos filhotes, resultando no que se vê no estomago da ave na foto desta pagina.

Calcula-se que um terço dos filhotes morra por causa disso. Para documentar a tragédia, o fotografo americano Chris Jordan pode visitar a reserva de Midway durante um mês em 2009. Ao longo do trabalho, manteve-se, segundo afirma, totalmente fiel as imagens que encontrou: “Nem um único pedaço de plástico nas fotos foi movido, colocado, manipulado, ajeitado ou alterado de alguma forma”. Em outras palavras, poluição em estado bruto.

Texto extraído do site: Planeta Sustentável

* Precisamos repensar urgentemente nos nossos valores, principalmente nas nossas atitudes perante o meio ambiente.

Um simples ato de jogar sacolas, embalagens plásticas em locais inapropriados, pode ocasionar sérios problemas aos seres vivos que habitam tal região, levando-os a morte, como constatado na foto acima.

  Antes de praticar tal ato pense na quantidade de seres que morrerão devido a uma sacola ou embalagem esquecida/deixada na proximidades de uma praia, ou até mesmo de um rio, açude, lago e etc.

Simples gestos fazem toda a diferença!

Reutileze, Reuduza e Recicle!

Publicado em Lixo | Marcado com , , | Deixe um comentário

10 jeitos de usar casca de ovo

Composta basicamente de cálcio, a “embalagem” desse alimento serve para proteger a parte interna, onde se desenvolve o embrião. Em vez de jogar a casquinha fora depois de preparar o ovo, guarde-a para utilizá-la no jardim, na limpeza, na cozinha e até na decoração

ovos-001

CONFIRA A SEGUIR DEZ DICAS INUSITADAS DESSA MARAVILHA DA NATUREZA!

Continuar lendo

Publicado em Responsabilidade Ambiental, Simples Assim | Marcado com , , , | Deixe um comentário

As árvores e a humanidade

“O grande francês Marshall Lyautey uma vez pediu ao seu jardineiro para plantar uma árvore. O jardineiro reclamou que árvore demoraria a crescer e não alcançaria maturidade por 100 anos. O Marshall respondeu ‘Neste caso, não há tempo a ser perdido, plante-a esta tarde!’”
John F. Kennedy

Publicado em Responsabilidade Ambiental | Marcado com , , | Deixe um comentário

Tu não és necessária à vida: tu és a própria vida!

Água!
Tu não tens gosto, nem cor nem aroma.
Não podemos definir-te,
Saboreamos-te sem te conhecermos.
Tu não és necessária à vida: tu és a própria vida!
Tu penetra-nos dum prazer
Que não se explica pelos sentidos.
Contigo reentram em nós os poderes
Aos quais tínhamos renunciado…
Por tua graça,
Abrem –se em nós todas as fontes corrompidas do nosso coração
Tu és a maior riqueza que existe no mundo,
E és também a mais delicada,
Tu, tão pura no ventre da terra.
Pode-se morrer a dois passos dum lago de água salgada.
Pode-se morrer de dois litros de orvalho que alguns sais retêm em suspensão.
Tu não aceitas mistura alguma,
Tu não suportas alteração alguma,
Tu és uma desconfiada divindade…
Mas tu espalhas em nós
Uma felicidade infinitamente simples.

Extraído do livro Terra dos Homens, de Antoine de Saint-Exupéry
#Dia Mundial da Água

Publicado em Água, Poesias belas | Marcado com , , | Deixe um comentário